Armas para quê?

Armas para quê?

Correio Braziliense – Antônio Rangel Bandeira – 08/10/2019

Desde a Conferência da ONU sobre tráfico de armas em 2001, o mundo avançou muito no controle de armas. Só o Brasil está regredindo nessa política. Até mesmo países conhecidos como “paraísos das armas” se alinham a essa tendência. Na Suíça, 63,7% da população votaram em plebiscito por maiores restrições às armas. Sua fabricante de armas Ruag foi proibida pelo Parlamento de abrir fábrica no Brasil “para não botar em risco a reputação da Suíça”, diante da violência que suja a imagem do Brasil. A Nova Zelândia também tornou a lei de armas mais restritiva, depois do massacre em duas mesquitas no ano passado. Até o governo Trump, acossado por massacres sucessivos, promete rever a liberação da venda de armas para quem não comprove bons antecedentes criminais e saúde mental.

Lançamento do Livro out 2019

Trabalhei com um grupo de especialistas da ONU, dando treinamento para militares e policiais de 19 países, e comprovei a preocupação crescente com o controle de armas. Devemos aprender com a experiência de outros povos. Por exemplo, o Japão, que abandonou uma cultura militarista que tinha até a Segunda Guerra, investiu na cultura de paz, em educação, no bom treinamento da polícia, e tem uma das leis mais restritivas sobre uso de armas por civis. Resultado: em todo o ano de 2017, teve apenas três homicídios por arma de fogo, enquanto o Brasil amargou 47.500 homicídios naquele ano, 130 por dia!

Os países democráticos e desenvolvidos implementam políticas públicas baseados em conhecimento científico, em pesquisas rigorosas, e não em “achismo” como nós. Cresce com nosso governo o desprezo pela ciência, e políticas passam a ser norteadas por ideologia e crenças atrasadas. Como a de incentivar a autodefesa, para que o cidadão se defenda sozinho, em vez de se melhorar a polícia para que proteja todos os cidadãos com eficiência. Isso quando todo especialista sabe que a arma é boa para ataque, mas precária para autodefesa, porque quem assalta conta a seu favor com o determinante fator surpresa. Em 1995, o deputado Jair Bolsonaro foi assaltado, e levaram sua moto e a pistola Glock que portava. Ele admitiu na ocasião: “Mesmo armado, me senti indefeso”. Essa é a realidade do assalto, e não a fantasia do cinema. Pesquisas mostram que, de cada 10 pessoas que reagem com arma a um assalto armado, sete são baleadas. Os números falam por si. O resto é ilusão.

No Congresso, parlamentares que tiveram suas campanhas financiadas pela indústria de armas querem derrubar nossa lei de controle de armas. Lei admirada e copiada a nível internacional por ter evitado a morte de mais de 197 mil brasileiros, num período de 12 anos, segundo pesquisa do respeitado Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), do governo. O chamado Estatuto do Desarmamento tem contido o aumento dos homicídios, que só não são mais baixos porque não foram feitas reformas na polícia, no sistema prisional, no Judiciário, nem se reprime com inteligência o narcotráfico e as milícias. Como a violência urbana é um fenômeno complexo, exige um somatório de medidas, não bastando o controle de armas. Mas sem a lei vamos abrir as portas do inferno, agravando uma situação que faz do Brasil, em números absolutos de homicídios, o país mais violento do mundo.

Contrariando a vontade de 70% dos brasileiros, que segundo o Datafolha de julho passado se manifestaram contra o porte de armas, isto é, que civil possa andar na rua com arma na cintura, a chamada Bancada da Bala pretende tentar aprovar o porte. Contra essa ameaça, que nos igualaria aos EUA nos massacres frequentes em escolas e igrejas, 15 entidades importantes, como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e a Iniciativa das Religiões Igrejas Unidas, e parlamentares contrários à violência armada, vão promover um ato amanhã, às 15 horas, na Câmara Federal. Constará do lançamento do meu novo livro Armas para quê? (Editora LeYa), dedicado in memorian à jornalista do Correio Braziliense Valéria de Velasco, que tanto lutou pela aprovação e implementação do Estatuto do Desarmamento, e debateremos formas de preservar uma lei que tem salvado tantas vidas. Convocamos os brasilienses de bem a apoiarem essa luta, para que o Congresso coloque a segurança da população acima dos interesses do monopólio da indústria CBC/Taurus.

Nota/agendas

3° Fórum Em Debate – tema “Planejamento Estratégico do Município de Londrina.

Inscrições para o III Fórum Em Debate

As inscrições para o III Fórum Em Debate, organizado pelo Fórum Desenvolve Londrina, já estão abertas. O evento que tem como tema “Planejamento Estratégico do Município de Londrina” será NESTA QUINTA-FEIRA (3) no auditório da UniCesumar. As inscrições podem ser feitas pelo Sympla, no endereço: http://bit.ly/forumdebate3

O III Fórum Em Debate será das 8h às 11h30 e terá como palestrantes Paulo Hartung, economista e ex-governador do Estado do Espírito Santo (ES) e Raquel Gastaldi, co-coordenadora do Planejamento Estratégico do Município de Itajaí (SC). As inscrições são gratuitas, mas as vagas limitadas.

Justiça Restaurativa: Possibilidades e Desafios em Londrina

O Centro Acadêmico XI DE ABRIL de Direito da UNIFIL realizou no dia 24 de setembro de 2019 seu primeiro evento jurídico organizado por seus diretores e membros. O evento contou com as palestrantes Dra. Claudia Catafesta e Dra. Aline Fioravante, sendo abordado por ambas o tema “Justiça Restaurativa: Possibilidades e Desafios”

O Presidente do Centro Acadêmico, Ronaldo de Almeida Barretos, relatou que antes mesmo da palestra, já tinha certeza que seria um sucesso, pois as palestrantes sempre foram muito elogiadas em todos lugares e são excelentes profissionais.

O evento fez parte da programação da 19° Semana Municipal da Paz de Londrina.

FOTOS https://www.flickr.com/photos/luis_pazeando/albums

COMPAZ e PAZEANDO foram convidados pela  presidente Solange Gaia da Associação dos Amigos e Moradores do Centro Histórico de Londrina,  para realizar uma Abraço pela Paz na Inauguração das novas Luzes da Concha Acústica de Londrina.

FONTE: Blog N Londrina Núcleo de Comunicação
https://blog.londrina.pr.gov.br/?p=62426

Prefeitura ilumina Concha Acústica com cores temáticas

Serviço foi executado pela Sercomtel Iluminação

Marcelino Jr   27 de setembro de 2019 /

Foto: Vivian Honorato

A Prefeitura de Londrina apresentou, no começo da noite desta quinta-feira, a nova iluminação da Concha Acústica, monumento do Patrimônio Histórico-Cultural da Cidade, localizado no Centro. O prefeito Marcelo Belinati fez a entrega da obra. Autoridades e representantes da comunidade da região também estiveram presentes, dentre os quais o ex-deputado federal Alex Canziani.

O serviço foi implementado pela prefeitura por meio da Sercomtel Iluminação, que no mês passado já havia modernizado 24 postes do local, substituindo as antigas lâmpadas por luminárias LED, tanto no entorno quanto no interior da Praça Primeiro de Maio, que fica entre as ruas Piauí, Souza Naves e a Maestro Egídio Camargo do Amaral, que também tem o Memorial dos Pioneiros e a sede da Secretaria Municipal de Cultura. O trabalho contou com o apoio da Associação dos Amigos e Moradores do Centro Histórico de Londrina, presidida por Solange Gaia.

Na estrutura da Concha Acústica foram colocados dois refletores, além de outros dois nos postes internos, que podem reproduzir diferentes cores e tonalidades. Alguns ajustes técnicos e modificações serão feitos nos próximos dias para potencializar ainda mais o cenário de luz.

Foto: Vivian Honorato

A proposta é transformar o local num ponto temático permanente para ser explorado à noite, sempre usando a simbologia das cores em datas especiais. Segundo o prefeito Marcelo Belinati, a iluminação em torno de um espaço tão significativo para o londrinense é um dos passos para a revitalização da área histórica do centro. “A prefeitura compartilha do mesmo carinho que o cidadão tem pela área central com os prédios e espaços que contam a história da cidade e trazem ótimas memórias”.

TURISMO – Com um novo visual e produzindo efeitos cênicos à base de luzes coloridas e especiais, a Concha será repaginada como um novo atrativo turístico e cultural da cidade. Ontem mesmo, durante a solenidade, quatro integrantes da orquestra musical da Associação “Solidariedade Sempre” apresentaram uma coletânea de chorinho para abrilhantar o ato.

No Dia Mundial Sem Carro em Londrina

Como primeiro dia da 19° SEMANA MUNICIPAL DA CULTURA DE PAZ, Conselheiros do COMPAZ e da ONG Londrina Pazeando participaram neste dia 21/set/2019 do Dia Mundial Sem Carro em Londrina e convidaram a todos os presentes para virem no domingo no 11º Abraço no Lago pela Paz no DOMINGO (22). Hoje também a o dia Mundial World Cleanup Day, que foi lembrado aos participantes.

VEJA FOTOS DO EVENTO https://photos.google.com/share/AF1QipOQ8WD2JMjVwJRlP6E58adkZaDBwUJ_giPjW2iXxJKGWmgYh1OYC5NfbMEnkB2m5g?key=N0oyNnR4TkUtSXU2djRnZmh4WHRDXzhLY1BUMnd3

Um Dia Sem Carro em Londrina

Estamos participando da Campanha Não Somos Alvo

O que é a campanha?

A Campanha Não Somos Alvo é o resultado da mobilização não partidária de cidadãs e cidadãos contrários à liberação do porte de armas. Mais armas nas ruas não garantirão nossa segurança.

O Brasil é o campeão em mortes por armas de fogo no mundo: são mais de 43.000 vidas perdidas no país todos os anos. Apesar desse terrível cenário, decretos do governo federal e propostas de lei que tramitam hoje no Congresso aumentam o número de pessoas armadas nas ruas, escolas, no trânsito, em restaurantes, bares, festas, nos cinemas, nas praças, florestas e no campo. O próximo alvo pode ser qualquer um de nós.

Para evitar uma tragédia ainda maior, a voz dos 73% da população brasileira contrária ao porte de armas precisa ser ouvida.

Não podemos permitir esse retrocesso. Precisamos de você.

VEJA MAIS SOBRE A CAMPANHA https://www.naosomosalvo.com.br

COMPAZ de Londrina, presente em São José dos Campos/SP

Londrina esteve no 10° Seminário Regional de Promoção as Saúde e Cultura de Paz para falar de Cultura de Paz em Políticas Públicas, no dia 24 de setembro em São José dos Campos/São Paulo.

O convite partiu do Núcleo Viva a Paz, dentro do tema Integralidade do Ser Humano – Um Caminho para a Cultura de Paz.
Foram Oficinas temáticas direcionadas aos vários tipos de interesse dos “trabalhadores da paz” ali reunidos, e a nossa Oficina foi Cultura de Paz e Políticas Públicas, onde fizemos a apresentação de nossas principais ações em andamento e os caminhos para sua realização sempre com o apoio e envolvimento da sociedade civil, em um breve resumo do caminho de quase 20 anos, atendendo à maior solicitação feita: “O que se pode fazer como Cultura de Paz?”.
A surpresa foi seguida pela pergunta: “Como conseguem tanto?”, e a resposta foi: com o envolvimento de pessoas e organizações da sociedade civil que, voluntariamente, apoiam e compartilham esforços dentro de suas possibilidades e competências.
Com o trabalho contínuo em troca de informações, de busca de oportunidades – criadas em Londrina ou inspiradas em outras ações aqui replicadas de forma direta ou adaptadas à realidade local.
O Abraço no Lago, nossa ação de maior visibilidade já será levado para o planejamento de outras 2 cidades, e nossa Trilha da Paz já será utilizado em pelo menos 2 Postos de Saúde em São José dos Campos mesmo.
Não serão apenas tais os resultados de nossa participação, pois as várias conversas além do horário do evento mostraram que o COMPAZ/Londrina inspira e dissemina a Cultura de Paz que todos desejamos.
Parabéns Voluntários!
Parabéns Instituições Públicas e Privadas!
Parabéns à todos que realizam, a cada dia, o sonho de uma Cultura de Paz!!!
Por: Silvia Liberatore
Representante do COMPAZ neste evento

Jornalistas, pesquisadores e professores, de diferentes áreas, vão falar sobre as interferências das notícias falsas e deturpadas na sociedade brasileira atual

O assunto é polêmico e vem ganhando espaço desde as eleições de 2018. Com o tema “Fake News e a (in)versão dos fatos”, o 12º Fórum Estadual de Educação Para Paz, o Mídia de Paz, reunirá na terça-feira (24.9), no campus da UEL, jornalistas, professores e estudantes universitários para tratarem de projetos, pesquisas e propostas que buscam combater a disseminação de notícias falsas nas mais diversas plataformas midiáticas.

O evento será na sala 683 – Auditório do CECA (Centro de Educação, Comunicação e Artes), da UEL, a partir das 19h30, e terá como palestrantes três profissionais: o professor de Ciências da Computação, Dr. Sylvio Barbon Junior, o advogado e também professor, Dr. Renato Lima Barbosa, e a jornalista e consultora Erika Zanon. A coordenação será mais uma vez do professor Dr. Emerson Dias, do curso de Jornalismo da UEL.

FOTO agência UEL de notícias: Os estudantes Hugo Queiroz Abonizio e Janaina Ignácio de Morais, e o professor Sylvio Barbon Júnior: quase três meses para montar a própria base, com textos em português

Barbon Jr. vai apresentar duas pesquisas orientadas por ele no mestrado em Ciência da Computação da UEL envolvendo um projeto de inteligência computacional que consegue diferenciar notícias legítimas das falsas ou irônicas. A partir de um banco de dados com cerca de 10 mil notícias em português, espanhol e inglês, a equipe do pesquisador conseguiu 85% de identificações corretas. Já em relação aos textos especificamente em português, os acertos atingiram 94%.

Advogado, professor e atual vice-presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol/Aduel), Lima Barbosa vai falar sobre as experiências com informações deturpadas, o embate de versões envolvendo o governante e o funcionalismo público e ainda sobre a desconstrução da Educação Pública a partir de projetos de lei estaduais e federal.

Já o ambiente polarizado e intolerante que a sociedade brasileira atual vivência, assim como divergência pessoais e profissionais cada vez mais acirradas, são tema da jornalista Erika Zanon, desenvolvedora dos princípios da Comunicação Não-Violenta (CNV) como caminho para a conexão entre pessoas e a solução de conflitos.

Realizado há 12 anos em Londrina, o Fórum anual tem como objetivo discutir a mídia a partir de várias perspectivas, na busca de soluções pacificadoras. O grupo “Mídia de Paz” surgiu dentro do Movimento Pela Paz e Não Violência, hoje capitaneado pelo COMPAZ e pela ONG Londrina Pazeando. Historicamente, o projeto envolve instituições universitárias e profissionais da mídia. Entre os temas já discutidos estão “Programas Policiais e uma imprensa mais responsável”; “A Contribuição da imprensa na construção do Mundo Sustentável”; “Violência e Entretenimento na Mídia: Vídeos Games Violentos”; “Mídia Infância e Periferia”. No ano passado, o tema foi “Mídia e Gestão Pública”.

—//—

Serviço: 12° Fórum Estadual de Educação Para a Paz- Contribuição da Mídia para uma Cultura de Paz. Tema: “Fake News e a (in)versão dos Fatos”

Dia, hora e local: 24 de setembro, 19h30, na sala de eventos 683 – CECA/UEL.

Entrada gratuita. Evento aberto à toda comunidade.

Assessoria de Imprensa – Alea

3357.33655 // 9101.1080

Presentes para o dia das crianças?

Venha no 6º Manifesto pela Paz desarmamento infantil!  Cj. Milton Gaveti – Zona Norte.
Este evento faz parte das Atividades da 2° Marcha Mundial pela Paz e Não-Violência em Londrina (veja mais sobre clique aqui)

Estamos realizando de 22 de setembro até a 06 de outubro/2019 a 19° “Semana Municipal da Paz” de Londrina, vento que faz parte do calendário Municipal da cidade, aprovado pele Lei Municipal nº 8.437/02.

Dando prosseguimento à Semana de Paz, no dia 05 de outubro/ SÁBADO, das 8 às 12 horas, na Rua Rafael Lamastra (nº36) esquina com Rua Patagônia, o COMPAZ Conselho Municipal de Cultura de Paz, a OSC Londrina Pazeando, o CMDCA Conselho Municipal da Criança e Adolescente, a Associação dos Moradores do Conjunto Milton Gaveti e  com o apoio o Tio Paulão Festas e Eventos, realizarão o 6º Manifesto pela Paz e pelo desarmamento infantil.

Vamos DESTRUIR as armas de brinquedo, a reciclagem levara o plástico. Membros do Exército e da Polícia Militar foram convidados e vão ajudar a destruir as armas de brinquedos.

Também teremos alguns brinquedos, pipoca e algodão doce para as crianças, comemorarem seu dia (semana) brincando… pois criança gosta mesmo é de brincar!

DATA: 05 de outubro/ SÁBADO,
HORARIO: das 8 às 12 horas, na
LOCAL: Rua Rafael Lamastra (nº36) esquina com Rua Patagônia. Cj Milton Gaveti Zona Norte

Eventos realizado anteriormente em outubro de 2014/ 2015/2016/2017/2018

VEJA REPORTAGEM DA FOLHA DE LONDRINA 12 de setembro 2019 clique abaixo para ler.

4ª Abraço pela Paz da Festa das Nações

FONTE:  https://blog.londrina.pr.gov.br/?p=59769
Texto: Aline Schmidt sob orientação dos jornalistas do N.Com

Museu Histórico recebe 4ª Festa das Nações Lusófonas no domingo

Este é um evento cultural que visa ampliar o conhecimento dos participantes em relação aos países de língua portuguesa

No domingo (25), o Museu Histórico de Londrina irá sediar a 4ª Festa das Nações Lusófonas, das 10h às 16h, na rua Benjamin Constant, 900, ao lado do terminal urbano. O evento agregará também homenagens ao Dia do Pioneiro, celebrado no dia 21 de agosto, ao Dia do Folclore, no dia 22 e o Dia do Elismo, no dia 8 de setembro. A entrada será gratuita.

Para a conselheira do Compaz e representante do Elos Clube, Leozita Baggio Vieira, este evento busca defender e promover a compreensão entre os povos, a defesa das tradições e da cultura luso brasileira e a defesa da língua portuguesa e do humanismo lusíada em todos os cantos do mundo. “Este é um evento cultural, que passa conhecimento para as pessoas, pois muitas acreditam que somente Brasil e Portugal são países lusófonos, quando na realidade existem nove”, contou.

Nações lusófonas são aquelas que compartilham o português como língua mãe, além de partilhar traços da cultura portuguesa. No evento, serão celebrados os países Brasil, Portugal, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Cabo Verde, Angola, Timor Leste, Guiné Equatorial e Macau, que é uma região administrativa da China.

Programação – Dentre as atividades propostas o evento trará aspectos geográficos, culturais e gastronômicos para os participantes. Em parceria com o departamento de letras da Universidade Estadual de Londrina (UEL), será exibido uma exposição de literatura portuguesa por meio de vídeos, poesias e ações linguísticas participativas.

Durante o decorrer da festa, as apresentações artísticas serão: espetáculos musicais, como “Noturnos de Chopin” e o “Sarau da Madragoa”; apresentação das entidades e países lusófonos; performances de danças; grupo de taiko; concerto da banda Stella Raiser; e apresentação de lendas e mitos de origem africana.

Outras atividades irão envolver o artesanato como oficinas de kirigami, biscuit e pintura de mandalas. Dentro da parte de gastronomia, os visitantes poderão conhecer um pouco mais sobre as comidas dos países lusófonos, como pastel de belém, bolinho angolano e bolinho de bacalhau, além de clássicos brasileiros como espetinho e coxinha.

Além da Festa das Nações, o evento contará também com o 4ª Abraço pela Paz da Festa das Nações Lusófonas, às 11h. Segundo o membro da Compaz, Luis Claudio Galhardi, está é a quarta realização do abraço dentro da programação da festa. “É um momento muito bacana, onde nós fazemos a roda, que é o abraço, e nosso grito de paz junto às bandeiras dos países”, relatou.

A festa também vai contar com o 2ª Encontro Distrital Lusófono de Escoteiros. Segundo, o coordenador da Seção Escoteira Autônoma do Ar Órion 352 Paraná, Gustavo Marconi, a Elos e a Órion perceberam que e trabalhavam com o aspecto lusófonos em suas atividades e disso surgiu a festa, que para os escoteiros é uma forma de integração que permite às crianças alcancem a insígnia da lusofonia. “Por meio desse evento, eles precisam conhecer aspectos culturais, gastronômicos, vestimentas, entre outros. Além disso, a festa facilita o encontro de outros escoteiros lusófonos”, relatou.

O evento é coordenado pelo Elos Clube de Londrina e pela Seção Escoteira Autônoma do Ar Órion 352 Paraná, e é uma realização do Lions International, Grupo Escoteiro Verde Vale, Desbravadores, Aventureiros do Amanhecer, Rotary Club de Londrina Sul, Londrina Pazeando, Conselho Municipal de Cultura de Paz  (Compaz), Associação dos Amigos do Museu Histórico de Londrina (ASAM), Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Museu Histórico de Londrina.

Para a imprensa: outras informações podem ser obtidas com a conselheira da Compaz e representante do Elos Clube, Leozita Baggio Vieira telefone disponível no N.Com pelo 3372-4013.