São vários reconhecimentos de diversas formas

Prêmio BOAS PRÁTICAS em Conselhos Municipais
temos 25 Conselhos Municipais em Londrina

Prêmio Boas Práticas em Conselhos Municipais: O Observatório de Gestão Pública de Londrina e o Conselho Municipal de Transparência e Controle Social de Londrina apresentam à população e conselheiros o 1° Prêmio de Boas Práticas em Conselhos Municipais de Londrina!

O Observatório quis identificar, valorizar e premiar iniciativas inovadoras promovidas por Conselhos Municipais de Políticas Públicas nas seguintes áreas:

Controle Social
Cidadania
Transparência
Eficiência das Políticas Públicas

Encontro dos Conselhos Municipais:Data: 02/12 – sexta-feiraHorário: 14 horas
Local: Auditório do SINDUSCON (Av. Maringá, 2400) Prêmio Boas Práticas em Conselhos Municipais:Data: 02/12 – sexta-feira
Horário: 17 horas
Local: Auditório do SINDUSCON (Av. Maringá, 2400) 

O Movimento pela Paz e Não-Violência Londrina Pazeando, recebeu o Prêmio da Categoria Especial, nesta terça último dia 23 de março/2010, às 20 hs no Hotel Sumatra.

A entrega do 14º Prêmio Destaque Tecnológico  – INTEGRA, tem como objetivo premiar pessoas, instituições ou empresa que, nos últimos 05 anos, tenham desenvolvido um conjunto de obras e/ou projetos relevantes para o processo de inovação e desenvolvimento sustentável do Paraná, a partir de ações de COOPERAÇÃO E/OU TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA entre agentes do setor de pesquisa e desenvolvimento e empresas ofertantes de produtos e serviços.

O Movimento que trabalha com a construção da Cultura de Paz no municipio de Londrina e Região, colabora para uma Educação para Paz, e contribui também para a criação de uma atmosfera favorável que propicia o fortalecimento da cooperação e solidariedade entre Pessoas e Redes, de maneira positiva – na visão de que os negócios só são bons se puderem ser sustentáveis, ou seja se estiverem alinhados com os conceitos de sociedade onde a cultura seja a Cultura de Paz.

O Movimento que trabalha com a construção da Cultura de Paz no municipio de Londrina e Região, colabora para uma Educação para Paz, e contribui também para a criação de uma atmosfera favorável que propicia o fortalecimento da cooperação e solidariedade entre Pessoas e Redes, de maneira positiva – na visão de que os negócios só são bons se puderem ser sustentáveis, ou seja se estiverem alinhados com os conceitos de sociedade onde a cultura seja a Cultura de Paz.

VEJA REVISTA NA INTEGRA (clique aqui)

Lia Diskin veio a Londrina participar de pré-conferência de Cultura de Paz

Movimento Pela Paz e Não-Violência Londrina Pazeando
em 24/fev/2010

CARTILHA PDFhttp://www1.sp.senac.br/hotsites/gd4/culturadepaz/arqs/cartilha.pdf 

 LONDRINA  É DESTAQUE EM CARTILHA SOBRE CULTURA DE PAZ.


Prof(a) Lia Diskin e Biatriz Cruz

No dia 27 de novembro, o Senac lançou em São Paulo a Cartilha “Cultura de Paz: Redes de Convivência”, escrita pela Profa. Lia Diskin, fundadora da Associação Palas Athena. O lançamento fez parte do evento “Mídia e Desenvolvimento em Debate”, organizado pelo Setor3, portal do Senac São Paulo especializado em desenvolvimento sustentável.

A Cartilha mostra um panorama da Cultura de Paz, destacando o mani festo 2000, da UNESCO, a Campanha 8 Jeitos de Mudar o Mundo, da ONU, e os princípios da não-violência. De maneira inovadora, apresenta também novas tecnologias de convivência, ilustrando os conteúdos apresentados com projetos e experiências bem sucedidas em todo mundo.

A ONG Londrina Pazeando aparece como um dos destaques ao lado de projetos tais como a ONG Educadores pela Paz, do RS, a UMAPAZ (Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz) e o Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz, ambos de São Paulo.

Para conferir é só entrar no site do SENAC
Beatriz Cruz
falecombia@gmail.com

SENAC  CARTILHA PDFhttp://www1.sp.senac.br/hotsites/gd4/culturadepaz/arqs/cartilha.pdf
 

 “Nunca duvide de que um pequeno grupo de cidadãos conscientes e engajados consiga mudar o mundo. Na verdade, essa é a única via que conseguiu produzir mudanças até agora”  Margaret Mead

SOBRE PROFa LIA DISKIN:  
Lia é jornalista, com especialização em crítica literária pelo Instituto de Periodismo José Hernández de Buenos Aires. Co-fundadora e presidente da Associação Palas Athena, conselheira para assuntos latino-americanos do Comitê Internacional Pró-Tibete, Washington, EUA. Membro do Conselho Executivo da Conferência Internacional de Educação do Futuro.

SOBRE A INSTITUIÇÃO PALAS ATHENA
A Palas Athena promove, agencia e incuba programas e projetos nas áreas de Educação, Saúde, Direitos Humanos, Meio Ambiente e Promoção Social, com a finalidade de aprimorar a convivência humana por meio da aproximação de culturas e articulação dos saberes.

Fundada em 1972, é uma organização da sociedade civil e sem fins lucrativos, declarada de utilidade públicapor órgãos oficiais.

Não é subvencionada pelo governo, nem por instituições nacionais ou internacionais de quaisquer naturezas. Desenvolve, desde sua fundação, atividades e projetos diversos, sempre com recursos provindos da autogestão. Nas suas três unidades físicas conta com mais de cem funcionários e colaboradores voluntários, além de uma rede de parcerias com organizações governamentais, da sociedade civil, movimentos sociais e empresas.

Centro de Estudos Filosóficos
Pala s Athena Editora

MISSÃO: Aprimorar a convivência humana desenvolvendo ações educativas por meio da aproximação das culturas e articulação dos saberes.

VISÃO: Contribuir na geração e articulação de conhecimentos e práticas que promovam a cultura da convivência.

PRINCÍPIOS

Ética da responsabilidade
Propiciar o cultivo do desenvolvimento pessoal, fundado na autonomia e na responsabilidade individual, voltado para a participação comunitária.

Multiculturalidade
Promover o diálogo e o entendimento para a coexistência das diversas tradições culturais e espirituais, e a capacidade humana de acolher outras visões de mundo sem rejeitar ou negar sua cultura original.

Transdisciplinaridade
Desenvolver uma educação f undada na compreensão da natureza humana, de suas atividades e expressões, na interdependência dos meios nos quais nasce e se insere: biológico, geográfico, histórico-cultural e espiritual.

COMPAZ recebe o selo ODM

Conselho Municipal de Cultura de Paz de Londrina – COMPAZ e o Movimento Nós Podemos Paraná, articulado pelo Sistema Fiep, trabalha desde 2006 para que o Estado alcance os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Em sua segunda edição do Selo ODM (2012-2013), que visa reconhecer e divulgar trabalhos realizados por entidades públicas municipais e estaduais, privadas e do terceiro setor no Estado do Paraná, para o alcance dos ODM, certificou o Movimento pela Paz e Não-Violência – Londrina Pazeando. O Movimento Nós Podemos Paraná declara que a certificação Selo ODM foi realizada através da instituição “COMPAZ – Conselho Municipal de Cultura de Paz” e tem validade de 1 (um) ano a partir da entrega do Selo.
 Curitiba, 17 de julho de 2012.

Maria Aparecida Zago Udenal  Coordenadora do Movimento Nós Podemos.


VEJA LEI COMPLETA (clique aqui)

(1)Art. 4º-A.Para aquelas empresas fiscalizadas nas quais for constatado que não comercializam armas de brinquedo, o Executivo Municipal fornecerá um Selo como homenagem pelo cumprimento da lei.

(1) acrescido dada pela Lei nº 11.309, de 15 de setembro de 2011

(2)Art. 4º-B. Caberá aoPoder Executivo e a Câmara Municipal de Londrina conceder o Selo a título de reconhecimento público em razão do cumprimento da lei.

(2)§ 1ºA concessão do Seloàs empresas deverá ser feita por meio de requerimento do interessado à Secretaria Municipal de Fazenda com cópia para conhecimento ao Poder Legislativo Municipal,  observado o seguinte e nesta sequência:

(2)I – O interessado deverá encaminhar o requerimento à Secretaria Municipal de Fazenda cabendo a essa Secretaria fazer a devida fiscalização dos estabelecimentos comerciais que não vendem armas de brinquedo e autorizar a concessão do Selo;

(2)II – realizada a fiscalização e constado o cumprimento da lei o Selo será concedido mediante parecer favorável por meio de processo administrativo em apreciação ao requerimento mencionado no inciso I; e

(2)III – o Selo será entregue pela Prefeitura e pela Câmara Municipal de Londrina durante solenidade oficial organizada pelo Poder Legislativo Municipal.

(2)§ 2ºA critério do interessado a entrega poderá ser realizada na primeira semana do mês de outubro, antecedendo o Dia das Crianças.

(2)I – o Selo deverá apresentar a grafia Arma não é brinquedo … dê abraços!  Lei Municipal nº9.188/03”,slogan que poderá sofrer alterações de acordo com a ampliação do debate sobre o tema, cabendo à Prefeiturae à Câmara Municipal apresentar as respectivas alterações;

(2)II – deverão ser exibidas em destaque na página principal da homepage da Prefeitura de Londrina e da Câmara Municipal de Londrina os nomes das empresas detentoras do Selo; 

(2)III – também como parte da campanha deverá ser criado o e-mail armanaoebrinquedo@londrina.pr.gov.br para ser aberto pelos fiscais da Secretaria Municipal de Fazenda o qual deverá ser um canal direto entre crianças, jovens, professores e pais que no seu dia a dia vejam lojas que eventualmente não estejam respeitando a lei;  e

(2)IV – Os estabelecimentos poderão afixar o Selo em local visível e utilizá-lo em sua publicidade pelo prazo de 2 anos quando deverão ser renovados.

(2)§ 3ºAlém da proibição de venda de armas de brinquedo ficam também proibidas a produção de réplicas deste tipo de material.

(2)§ 4ºA empresa que receber o Selo, e após fiscalizada estiver descumprindo esta lei, terá seu Selo cassado e estará sujeita às sanções previstas na legislação aplicável à espécie.

Empresas e ONGs recebem Selo da Cidadania

Representantes das empresas e ONGs que foram homenageados na Câmara

A terceira edição do Selo da Cidadania premiou sexta-feira à noite, durante sessão solene do Legislativo, dez empresas de Londrina. Criado pela Câmara Municipal de Londrina em 2001, o Prêmio Balanço Social é conferido anualmente às empresas que desenvolvem programas de responsabilidade social. Na edição deste ano, por iniciativa do vereador Nelson Cardoso (PT), além das empresas públicas e privadas, o Legislativo concedeu a honraria, pela primeira vez, para organizações do terceiro setor (ONGs).
A solenidade foi dirigida pelo vice-presidente da Câmara, Henrique Barros (PMDB), e contou com a presença da diretora do Ceca da Universidade Norte do Paraná, Leila Moraes Godoy; do presidente da Codel, Gabriel Ribeiro de Campos; do deputado federal Alex Canziani (PTB); do deputado estadual Barbosa Neto (PDT); do fundador-presidente da Folha de Londrina, João Milanez, entre outras autoridades.
Na foto, os representantes das empresas que receberam o Selo da Cidadania: Luiz Shiroma, diretor administrativo-financeiro da Sercomtel; Gildalmo de Mendonça, diretor-geral da TCGL; Francisco Francovig, diretor administrativo da Francovig; Alessandro Galeto, diretor comercial da Unimed Londrina; Luiz Cesar Guedes, diretor de Assuntos Corporativos da Milenia Agro Ciências; Martha Beatriz Issa, presidenta do Getexcel; Luiz Cláudio Galhardi, coordenador do Movimento pela Paz e Não Violência; Maria Aparecida Marques da Silva, presidente da Associação Pró-Criança, e Iracema Ferreira dos Santos, presidente do Centro de Apoio Esperança.

SELO DA CIDADANIA

Londrina Pazeando recebe o Selo da Cidadania da 
Câmara Municipal de Vereadores.”

A Prefeitura do Município de Londrina, por seu Prefeito, Nedson Micheleti

eA Câmara Municipal de Londrina, por seu Presidente, Orlando Bonilha Soares Proença
Têm a honra de convidar V. Sª. para a Sessão Solene de entrega do Selo da Cidadania as seguintes empresas públicas e privadas e organizações do terceiro setor.

organizações do 3º – Setor:
Centro de Apoio Esperança – CAE; 
Movimento pela Paz e Não-Violência;LONDRINA PAZEANDO 
Associação Pró-Criança; 
Grupo de Estudos para o Tratamento e Desenvolvimento Odontológico do Excepcional de Londrina – Getexcel.

Empresas Privadas:

Francovig e Cia Ltda; 
Transportes Coletivos Grande Londrina Ltda; 
Unimed Londrina; e 
Milenia Agro Ciências S.A.

Empresas Públicas:
Sercomtel Celular S.A; e 
Sercomtel S.A Telecomunicações.

A realizar-se às 20h30min do dia 3 de dezembro de 2004, sexta-feira, na Câmara Municipal de Londrina.

LEI No 9.536, DE 28 DE JUNHO DE 200

SÚMULA: Cria o Selo da Cidadania por meio da apresentação do Balanço Social das empresas públicas e privadas e das organizações do terceiro setor estabelecidas no âmbito do Município de Londrina e dá outras providências.

A CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, APROVOU E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE
LEI:
Art. lº O Balanço Social é um instrumento que afere os resultados dos fatos sociais realizados pelas empresas de pequeno, médio e grande porte, públicas e privadas, e pelas organizações do terceiro setor, tanto no que diz respeito às obrigações trabalhistas como também aos benefícios para seus empregados, familiares e à comunidade a que estão vinculadas no âmbito do Município de Londrina.
Art. 2º O Balanço Social será composto pelos seguintes indicadores:
I – folha de pagamento bruta: valor total da folha de pagamento, incluídos os encargos sociais; 
II – alimentação: restaurante, tíquete-refeição, lanches, cestas básicas e outros gastos com a alimentação dos empregados;
III – previdência privada: planos especiais de aposentadoria, fundações previdenciárias, complementações e benefícios aos aposentados;
IV – saúde: plano de saúde, assistência médica, programas de medicina preventiva, programas de qualidade de vida e outros gastos com saúde;
V – educação: treinamento, programas de estágios, reembolso de educação, bolsas de estudos, assinaturas de revistas, gastos com biblioteca e outros gastos com educação e treinamento dos empregados;
VI – outros benefícios: seguros, empréstimos, gastos com atividades recreativas, transporte, creches e outros benefícios oferecidos aos empregados;
VII – impostos: taxas, contribuições e impostos federais, estaduais e municipais;
VIII – contribuições para a sociedade: investimentos na comunidade nas áreas de cultura, esportes, habitação, saúde pública, saneamento, segurança, urbanização, defesa civil, educação, pesquisa, obras públicas, campanhas públicas e outros gastos sociais sem fins lucrativos;
IX – investimentos no ambiente: reflorestamento, despoluição, gastos com introdução de métodos não-poluentes e outros gastos que visem à preservação ambiental; e
X – indicadores do corpo funcional por meio da apresentação do número de:
a) empregados no final de cada exercício financeiro;
b) admissões durante o período;
c) empregados terceirizados;
d) estagiários;
e) empregados acima de 45 anos;
f) mulheres que trabalham na empresa e respectivo percentual de cargos de chefia por elas ocupados;
g) negros e respectivo percentual de cargos de chefias por eles ocupados; e
h) portadores de deficiência ou necessidades especiais. 
§ 1º Deverá compor o processo de análise o balanço patrimonial analítico e sintético relativo ao exercício financeiro a que o Balanço Social se refira.
§ 2º Outros documentos poderão ser solicitados pela Comissão quando da visita desta aos pleiteantes.
Art. 3º O Balanço Social poderá ser apresentado por toda e qualquer empresa pública ou privada e por organizações do terceiro setor com sede em Londrina até o último dia útil do mês de julho do ano seguinte, a que se referir, assinado por um contabilista com registro no Conselho Regional de Contabilidade do Paraná. 
Parágrafo único. Os modelos dos Balanços Socias serão aqueles adotados pelo Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE), disponível no endereço eletrônico da Câmara de Vereadores de Londrina – www.cml.pr.gov.br – acompanhado da ficha de inscrição para os interessados.
Art. 4º Haverá três premiações distintas: para empresa pública, para empresa privada e para organizações do terceiro setor, com os balanços sociais analisados distintamente.
Art. 5º O Balanço Social será analisado por uma comissão, a ser criada pela Câmara, especialmente para esse fim, composta por:
I – um representante do Poder Legislativo Municipal e respectivo suplente;
II – um representante do Poder Executivo Municipal;}
III – um representante do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná;
IV – um representante do Sindicato dos Contabilistas de Londrina; e
V – um representante do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (SESCON).
Parágrafo único. Os membros efetivos e respectivos suplentes da Comissão referida no caput deste artigo serão designados pelos Poderes e entidades ali referidos para um mandato de dois anos, permitida uma recondução.
Art. 6º A empresa que apresentar o Balanço Social receberá o Selo da Cidadania da Câmara Municipal de Londrina mediante avaliação e aprovação da Comissão de que trata o artigo 5º desta lei.
Parágrafo único. O Selo da Cidadania de que trata o “caput” deste artigo será entregue em Sessão Solene do Poder Legislativo Municipal.
Art. 7º O Selo da Cidadania não será fornecido às empresas de cigarro, fumo ou tabaco, armas de fogo ou munições, bebidas alcoólicas ou que estejam comprovadamente envolvidas com a exploração do trabalho infantil e/ou qualquer outra forma de trabalho forçado.
Art. 8º Caberá à Mesa Executiva baixar as demais normas para a implantação e a execução das disposições desta lei.
Art. 9º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, especialmente a Lei nº 8.614 de 23 de novembro de 2001.

Londrina Pazeando convidado para apresentar a experiência de Cultura de Paz de Londrina em encontro internacional.

Encontro  Internacional “En pie de paz”

Objetivo Geral do encontro: – Contribuir para a reflexão e ação da cultura de paz no contexto  das políticas públicas e do desenvolvimento cultural no mundo globalizado.

O Centro Cultural de Espanha em São Paulo / Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e o Instituto Pólis  organizaram o Encontro  Internacional “En pie de paz” – Cultura de paz, políticas públicas e desenvolvimento cultural, a em São Paulo (Brasil), nos dias 25, 26 e  27 abril 2011.

Este evento internacional pretendeu abrir  um espaço de reflexão e debate sobre as  práticas de Cultura de Paz, a efetivação de  políticas públicas e o desenvolvimento  cultural nesse campo a partir de questões  conceituais e também de práticas de  cultura de paz em andamento. A grande  quantidade de projetos e programas  desenvolvidos atualmente – que abrangem  desde pequenos grupos até atividades  relacionadas aos conflitos e à paz  internacional, passando por escolas e organizações da sociedade civil, é um indicador da  importância do tema.

Esse Encontro reuniu participantes do Brasil e de outros países ibero-americanos, incluindo  pensadores, “ativistas”, agentes de cultura de paz, de direitos humanos e de gênero, que têm  contribuído para a ampliação do tema e para a resolução não violenta de conflitos. Foi de suma  importância trabalhar para a continuidade de atividades e projetos relacionados ao tema no  contexto da Declaração da UNESCO sobre Cultura de Paz que completa 10 anos.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública, instituição que promove o intercâmbio de conhecimento e boas práticas entre trabalhadores, gestores e pesquisadores da área de segurança pública, irá publicar em parceria com oInstituto Ethos e a CPFL Energia, uma seleção de experiências inovadoras e multiplicadoras de parcerias entre instituições públicas e privadas que objetivam reduzir a criminalidade e a violência com responsabilidade e compromisso social. A publicação que se denominará  “O que o empresário pode fazer pela Segurança Pública”, está sendo elaborado pelo Fórum.
Dentre as experiências já selecionadas, o programa “Rede de Instituições e Empresas Amigas Cultura de Paz” está entre as boas prática. O coordenador do Movimento pela Paz e Não-Violência Londrina Pazeando, integrante do Movimento Nós Podemos Paraná e também membro do COMPAZ Conselho Municipal de Cultura de Paz, Luis Claudio Galhardi estará presente ao evento para mostrar com desde de 2005 os empresários Londrinenses colaboram para prevenção da violência (e com a segurança pública) participando e apoiando financeiramente um trabalho de Educação para a Paz. O trabalho alinhado aos ODM Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ONU) vem colaborando de maneira positiva para uma grande reflexão das causa múltiplas de como “as violência” se manifestam em nossa sociedade e como podemos de forma pró-ativa não-cooperar com as violências e assim contribuir para a construção de uma Cultura de Paz (ONU/UNESCO 2000)

VEJA MAIS SOBRE O EVENTO http://www.forumseguranca.org.br/
http://www.adtevento.com.br/fbsp2010/

IV Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O IV Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública aconteceu nos dias 15, 16 e 17 de março, no Expocenter Norte, em São Paulo. O evento reuniu policiais e gestores de segurança pública, além de pesquisadores e lideranças da sociedade civil de todo o país para participar de debates, palestras, oficinas e cursos relacionados ao tema.

Aconteceu cerca de 30 mesas-redondas, com temas como valorização profissional como ferramenta de gestão, o estresse na atividade policial, mediação de conflitos e policiamento comunitário. Serão realizados também debates sobre o papel das polícias na aplicação da lei Maria da Penha, o papel do setor privado na segurança pública e comunicação e segurança, entre outros.

Realizado desde 2007, o Encontro é considerado um dos mais importantes eventos na área de segurança pública do Brasil e deve atraiu este ano mais de 1.500 participantes. Antes de São Paulo, o Encontro já foi realizado em Vitória, Recife e Belo Horizonte.

O IV Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública é uma parceria entre a Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública de São Paulo, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e a Fundação Konrad Adenauer. Conta ainda com os apoios do BID, da Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo e da Urbania Editorial.


Juliana Vinuto 
Fórum Brasileiro de Segurança Pública
(11) 3081-0925/(11) 9390-0336       
Skype: juliana.vinuto

Entre em contato conosco pelo seguinte e-mail:
 paz@londrinapazeando.org.br

FONTE: http://home.cml.pr.gov.br/home/honrarias.aspx?id=127 

Serviço de Imprensa
Câmara Municipal de Londrina
Fones: (43) 3374-1326 e (43) 9995-0531

Vereadores homenageiam Londrina Pazeando

Há seis anos, a discussão sobre as causas e conseqüências da violência em Londrina, tomou novo rumo. Um grupo de pessoas interessadas na promoção de uma cultura de paz e não-violência reivindicou e garantiu o apoio dos vereadores ao projeto de lei que instituiu no calendário das comemorações oficiais do município, a Semana da Paz. É a Lei 8.437, de 26 de junho de 2001. Hoje, durante a 6ª Semana Municipal da Paz, o Movimento pela Paz e Não-Violência, mais conhecido como Londrina Pazeando, já colhe frutos da sua missão, também valorizada pela Câmara Municipal de Londrina durante a entrega, no último dia 19, do Diploma de Reconhecimento Público à entidade.

“Não é demais dizer que o Movimento pela Paz e Não-Violência estabeleceu um marco na história da cidade mostrando que Londrina está consciente do problema da violência e busca mudar esta realidade, semeando a cultura da Paz”, disse a vereadora Maria Angela Santini (PT), de quem partiu a iniciativa para homenagear o Movimento. E continuou: “Não é uma tarefa fácil,  afinal vivemos diariamente, a situação inversa:  a cultura de violência. Justamente por este motivo, a construção de uma cultura de paz é um processo coletivo. Precisamos criar referenciais não-violentos nas escolas, na mídia, nas relações inter-pessoais, nos contatos coletivos, nas relações de trabalho enfim, no cotidiano das nossas vidas. Este é o grande desafio do Movimento”.

A cerimônia de entrega do título foi dirigida pelo presidente do Legislativo, Orlando Bonilha (PL)  e contou a presença da Secretária Municipal de Educação, Carmem Lúcia Baccaro Sposti; do professor Álvaro Cláudio Amorim Brochado, da Universidade Estadual de Londrina (UEL); da professora Leila Moraes Godoy, da Universidade Norte do Paraná (Unopar); da professora Ariani Bortolotti Fuimari, do Núcleo Regional de Ensino além de diretores da entidade, empresários, estudantes e amigos do Londrina Pazeando. As alunas Kawana Cristina Bernardino, Vanessa Martins e Gabriele de Paula dos Santos da 6ª série do Colégio Estadual Benjamin Constant, uniram-se à Câmara de Vereadores na homenagem, interpretando a música Eu quero Paz, composta durante as aulas de Hip-Hop na escola.

Luis Cláudio Galhardi, coordenador do Movimento, lembrou que a missão do Londrina Pazeando, é contribuir para a construção de uma cultura de paz e não-violência no município, por meio da mobilização das pessoas ligadas às organizações do terceiro setor, às empresas e ao Estado, para que todos possam viver em paz e harmonia plena. “Nosso trabalho é reconhecido nacionalmente e no Paraná uma lei estadual aprovada em 2004 permitiu a realização este ano, nas escolas estaduais, da 2ª Semana Estadual da Paz”, comemorou Galhardi.

Na foto de Cleber Rocha, o vereador Sidney de Souza (PTB) e a vereadora Maria Angela Santini (PT), entregam o Diploma de Reconhecimento Público para Luis Cláudio Galhardi (ao centro) coordenador do Movimento Londrina Pazeando em Londrina.

Luis Claudio Galhardi foi homenageado na Câmara

O presidente do Conselho Municipal de Cultura da Paz de Londrina (COMPAZ), engenheiro Luis Claudio Galhardi, 50 anos, será homenageado pela Câmara de Vereadores com o Diploma de Reconhecimento Público, pelos relevantes serviços prestados à coletividade. A iniciativa da homenagem é do vereador Amauri Cardoso (PSDB) e subscrito por mais 10 vereadores, será entregue durante a solenidade de abertura da 3ª Conferência Municipal de Cultura da Paz de Londrina, que será realizada hoje (quarta-feira, 30/5), às 13h30, na sala de sessões do Legislativo.

Luis Claudio Galhardi nasceu em Londrina em agosto de 1961. É formado em engenharia civil pela Universidade Estadual de Londrina. Comoengenheiro trabalhou nas construtoras Canaã, Almanary e foi proprietário da Construtora Galhardi. Também trabalhou na Secretaria de Planejamento do Paraná, no programa de ocupação do solo do litoral paranaense. Foi ainda diretor do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) por duas gestões e criador da empresa Lyon Participação e Investimentos.

Iniciou sua trajetória no terceiro setor como assessor para projetos especiais do Núcleo Espírita Irmã Scheila, tendo sido indicado em seguida para dirigir o Programa Sentinela, resultado de parceria entre o município, o Núcleo Irmã Scheila e o Governo Federal. O Programa Sentinela foi criado para atendimento às crianças vítimas de violência sexual no município e funcionou dentro do Pronto Atendimento Infantil (PAI).

 Galhardi foi coordenador do Projeto Mil ONG’s, que funcionando dentro da CODEL, foi responsável pelo fomento da criação de organizações nãogovernamentais ONG’s no município de Londrina. O projeto visava justamente o desenvolvimento do terceiro setor no município. Galhardi participa todos os anos, desde 2002, da comissão Organizadora da Semana da Paz em Londrina. Também é coordenador do Movimento pela Paz e Não Violência Londrina-Pazeando, criado para desenvolver uma cultura da paz e não violência. 

Mídia de Paz – Ainda no terceiro setor e atendendo convite da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP) participou do programa 8 Jeitos de Mudar o Mundo, que visa contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU (ODMs/ONU), incentivando redes sociais de trabalhos na área. Atualmente Galhardi é presidente do COMPAZ, criado em 2008, e articulador do programa Mídia de Paz, que se propõe a trazer boas notícias para a mídia www.midiadepazparana.org.br  , além de integrar o grupo “Nós Podemos Londrina” www.nospodemoslondrina.org.br 

Luis Claudio Galhardi também é membro da Rede Desarma Brasil (campanha nacional pelo desarmamento); do Fórum Desenvolve Londrina, e da Rede de Participação Política/Rede de Desenvolvimento Local, movimento que luta pela democracia e pelas instituições republicanas. Foi um dos Fundadores do Núcleo Espírita Universitário e fundador do programa “Reflexão Espírita” na TV Londrina, que hoje é veiculado pela internet.

A solenidade de entrega do Diploma de Reconhecimento Público a Luis Claudio Galhardi, nesta quarta-feira (30/5), às 13h30; e a 3ª Conferência Municipal de Cultura de Paz de Londrina, que prossegue na mesma tarde até às 18hs, são abertas ao público e serão realizadas no plenário da Câmara de Vereadores. Os eventos serão transmitidos on-line pelo site www.cml.pr.gov.br

Deputado Tercilio Turini Entrega Homenagem (23/set)

Londrina Pazeando recebe homenagem da Assembleia (19/set). O Movimento Pela Paz e Não Violência – Londrina Pazeando é uma das instituições homenageadas pelo Conselho Parlamentar de Cultura de Paz (ConPaz) da Assembleia Legislativa do Paraná, entre diversas entidades e personalidades que atuam na construção de um mundo melhor e cultuam princípios de respeito à vida, solidariedade e preservação do planeta.

A indicação do Londrina Pazeando foi do deputado estadual Tercilio Turini, pelo trabalho realizado na cidade já há muitos anos. No próximo sábado, a entidade inicia as atividades da 17ª Semana da Paz e no domingo (dia 24), às 9 horas, organiza o 9º Abraço no Lago, reunindo centenas de pessoas no entorno do Igapó 2.

Na sessão de hoje da Assembleia Legislativa, deputados estaduais destacaram o Dia Internacional da Paz, celebrado em 21 de setembro. O deputado estadual Péricles de Mello é o secretário-geral do ConPaz.

FONTE: Pedro Nóbrega – Assessoria de Comunicação da Expo Brasil 
http://www.expobrasil.org/principal/index.php

25 a 27 de abril de 2012 .Caminhos para superar a cultura de violência “Faça pequenas ações. Se esse pequeno ficar grande, distribua”. A frase proferida pelo coordenador do Movimento Amigos da Paz, Everardo Lopes, deu a tônica da discussão sobre Mobilização e Cultura de Paz, realizada no último dia da décima Expo Brasil Desenvolvimento Local, que reuniu ainda o coordenador do Movimento pela Paz e não-violência Londrina Pazeando, Luis Galhardi. Everardo Lopes e Luis Galhardi comentaram sobre a cultura de violência que está presente na sociedade e debateram formas possíveis de reverter tal situação. Para responder à grande questão: “como é possível reverter essa cultura de violência?” Everardo Lopes defendeu que toda iniciativa que possa se contrapor a essa cultura é fundamental. Porém, segundo ele, a cultura de paz precisa ser desvinculada da ideia de que são necessárias grandes experiências coletivas pra que algo seja mudado. Afinal, são as pequenas experiências continuas e permanentes que realmente trazem bons resultados e formam uma sociedade de paz. Luis Galhardi falou sobre a experiência do Movimento Londrina Pazeando, organização que tem como missão contribuir para a construção de uma cultura de paz e não-violência no município de Londrina, por meio da mobilização das pessoas ligadas às organizações do terceiro setor, às empresas e ao Estado, para que todos possam viver em paz e harmonia plena. Galhardi contou como foi possível criar em Londrina o Conselho Municipal de Cultura de Paz, COMPAZ, que tem por finalidade a promoção da cultura e educação para a paz, buscando promover a paz em todas as suas dimensões, individual, coletiva, social e ambiental, sendo ele transpartidário, transreligioso e transdisciplinar. Sobre o atual clima de violência e insegurança, Galhardi lembrou que essa cultura bélica é traduzida nos brinquedos das crianças, no cotidiano e nas mídias.

O Movimento Nossa São Paulo foi lançado em maio de 2007 a partir da percepção de que a atividade política no Brasil, as instituições públicas e a democracia estão com a credibilidade abalada perante a população. Constatamos que é necessário promover iniciativas que possam recuperar para a sociedade os valores do desenvolvimento sustentável, da ética e da democracia participativa. Em outubro de 2010 o movimento passou a se chamar Rede Nossa São Paulo, com o objetivo de fortalecer a articulação de um amplo campo social para objetivos comuns e, ao mesmo tempo, preservar a manutenção de diferenças para questões específicas, conjunturais, regionais, etc, assegurando a ampla liberdade de expressão e manifestação a seus integrantes…. VEJA MAIS

FONTE: www.cidadessustentaveis.org.br/boas_praticas/exibir/205

O Programa Cidades Sustentáveis da Rede Nossa São Paulo, apresenta várias experiências em várias cidades do mundo, com ideias e ações inovadoras e que contribuem para a sutentabilidade das cidades e do Mundo. Uma destas experiência é o Movimento Londrina Pazeando.

Descrição breve do projeto

O Movimento Pela Paz e Não Violência, mais conhecido como Londrina Pazeando, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que, desde 2001 (sendo reconhecida OSCIP em 2003), vem realizando ações para a promoção da cultura de paz e não violência, atuando principalmente com o público jovem e professores da cidade.

Essa organização busca contribuir para a construção de uma cultura de paz e não-violência por meio da mobilização, também, das pessoas ligadas às organizações do Terceiro Setor, às empresas e ao Estado para que todos possam viver em paz e harmonia plena. Seu foco está na busca real pela paz, afastando os envolvidos da paz ideológica e aproximando-os da conquista diária da paz, a partir da transformação dos valores e das rotinas. Seus valores norteadores são: valorização dos direitos humanos, respeito e amor ao próximo, cultura da não-violência ativa, a verdade sempre, diálogo entre as diferenças, educação para valores humanos, ética e transparência nas ações.

A educação para a paz constitui-se num conceito abrangente, abrigando as mais diversas experiências, tanto na educação formal como na não-formal, mas que tem em comum o objetivo de criar referenciais não-violentos; fortalecer conexões comunitárias e renovar a esperança; formar consenso para a paz, enquanto uma construção coletiva; fortalecer pessoas para serem ativistas de não-violência; lutar contra as desigualdades sociais; abolir preconceitos e estereótipos; instrumentalizar a resolução não-violenta de conflitos; diminuir o potencial de agressão; criar aversão à violência, com atitudes antimilitaristas e rejeição da violência.

Em 2001, com a participação ativa da organização em um movimento pró-cultura de paz, foi aprovada com unanimidade a Lei Municipal nº 8.437, que instituiu a Semana da Paz no calendário de comemorações oficiais de Londrina, objetivando a promoção da educação para a paz. No mesmo ano, ocorreu a 1a Semana da Paz de Londrina, com impacto pequeno, mas já se orientando para uma grande mobilização de pessoas. Assim, em 2002, ocorreu novamente a 2a Semana da Paz, com número maior de participantes.

Com a articulação com a ONG nacional MovPaz, foi realizada a Primeira Caminhada pela Paz no município. E, também, foi conquistado em 2002 um aditivo à Lei Municipal nº 8.437 que acabou por instaurar o Dia Municipal da Paz.

Objetivos

• Multiplicar o número de educadores comprometidos com a educação para a paz, para assegurar grupos de jovens comprometidos com a não-violência

Cronograma

• 2001: É instituída a Lei Municipal nº 8.437, que instituiu a Semana da Paz no calendário de comemorações oficiais de Londrina

• 2001: Ocorre a primeira campanha durante a Semana da Paz na cidade

• 2002: Ocorre a segunda campanha durante a Semana da Paz na cidade

• 2003: Inicia-se a proibição de venda de armas de brinquedo pelo comércio local

• 2004: Ocorre a primeira campanha contra as armas de brinquedo

• 2007: É criado o Conselho Municipal de Cultura da Paz (COMPAZ)

• 2011: Londrina Pazeando participa do Encontro Internacional “En pie de paz” – Cultura de paz, políticas públicas e desenvolvimento cultural

Resultados

• Realização de Caminhadas pela Paz, Semanas da Paz, exibição de vídeos sobre a biografia de pacifistas, palestras sobre educação para a paz com profissionais renomados, edição do gibi “Uma Turminha da Paz”, noites de cultura de paz

• Criação de uma publicação anual de coletâneas de textos de alunos do município para a produção de um livro com o tema: “Idéias dos Estudantes de Londrina para a Construção de uma Cultura de Paz”, com apoio da UNESCO

• Em 2011, houve a formação de educadores pela realização do curso de Educação para a Paz, cujo objetivo foi preparar educadores (as) para o planejamento, acompanhamento e orientação das oficinas da paz. Participaram 40 representantes de escolas municipais, estaduais e particulares, ONGs, Polícia Militar

• Elaboração de uma AGENDA 39, uma proposta de 39 pontos a serem trabalhados em Londrina, visando a construção da Cultura de Paz, entre os quais se inserem: promover intercâmbio entre as organizações de paz; propor que a educação para a paz permeie o currículo das escolas em todos os níveis de ensino; utilizar os espaços de escolas e igrejas para atividades esportivas, artísticas e de lazer para a comunidade e fortalecer as redes de denúncia, erradicação da exploração infanto-juvenil.

• Contribuição efetiva para a criação do Comitê Londrinense para o Desarmamento, em parceria com a Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar e as ONGs Sou da paz e Viva Rio

• Em 2012, o COMPAZ de Santa Catarina foi ao Ministro da Secretaria-Geral da República em busca de apoio para a discussão sobre a criação da Lei Federal referente à proibição da fabricação, importação e venda de armas de brinquedo no país

Instituições envolvidas

• Londrina Pazeando

Comerciantes de Londrina recebem selo “Arma não é brinquedo”

Atualmente, 82 lojistas da cidade possuem a certificação que identifica os pontos de comércio que não vendem armas de brinquedo.

Na oportunidade o Deputado Tercilio Turini fará a entrega do Título de Utilidade Pública Estadual para OSC Londrina Pazeando.

Lei Estadual 19.213 de 01/nov/2017