Colégio Estadual Thiago Terra
Endereço: Rua dos Pastores, 65 Telefone: (043) 3341-4622
Nome da Diretora: Maria Angela Leite
E-mail da Escola:  ldathiagoterra@seed.pr.gov.br       
Professor coordenador dos trabalhos: Simone Luciana Gomes      

Membros da comissão julgadora
Roseli Galhano da Silva Disciplina que leciona: Ciências/Vice-diretora
Solange Maria de Oliveira Disciplina que leciona: Pedagoga
Vanusa Fogaça de Freitas Prado Disciplina que leciona: Língua Portuguesa

Desenho Equipe
Maria Luiza de Lima Gomes Vaz Idade: 12 anos Série: 7º ano
Mariana Bispo Gonçalves Idade: 12 anos Série: 7º ano
Pamela Fernanda Pires de Souza Idade: 13 anos Série: 7º ano
Vitória Rafaela de Assunção Leme Idade: 13 anos Série: 7º ano

Professora orientadora: Simone Luciana Gomes
E-mail:  slgomes@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3341-4622

Texto Equipe

Dyonathan Kalleu Domingues Rezende Idade: 12 anos Série: 7º ano                                              
Eduardo Adolfo dos Santos Idade: 12 anos Série: 7º ano
Gustavo Novaes Silva Idade: 13 anos Série: 7º ano
Wesley Junior  de Oliveira Idade: 13 anos Série: 7º ano

Professor orientador:Simone Luciana Gomes
E-mail: slgomes@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3341-4622

Mudando a Escola

A escola é um lugar que todo mundo deveria ter respeito um pelo outro.
É um ambiente público que precisa ser conservado, não devemos riscar as carteiras, escrever nas paredes, estragar as cortinas, temos que deixar os banheiros limpos, não deixar torneiras ligadas, tudo isso são atitudes simples que só dependem de nós. Então não custa colaborar e ter consciência de que devemos cuidar e respeitar esse ambiente, pensando nos próximos estudantes que frequentarão o  colégio. Deveríamos promover a paz na escola e buscar resolver todos os conflitos  através do diálogo e nunca partir para a agressão física.
Na escola, os alunos deveriam ter cuidado e respeito com todos, os amigos, os professores, pedagogos, diretores, cozinheiras, pessoal da limpeza e também com as pessoas que ficam no recreio, cuidando para evitar brigas, bullying e outras situações.
Muitas pessoas acham que o bullying é uma coisa qualquer, mas é uma coisa muito séria, as pessoas ficam magoando as outras com palavras ofensivas.
O bullying é um assunto grave, afinal quem sofre nunca esquece, é algo que não podemos praticar de forma alguma, seja na escola ou na rua, alguns de nós já passamos por isso e ver nossos amigos sofrerem é muito triste. Todo mundo fala sobre o problema, mas parece que está difícil resolver. Ninguém tem o direito de magoar as pessoas com palavras ofensivas, brincadeiras inadequadas e até mesmo apelidos horríveis.
Nossa ideia é que precisamos continuar lutando para que algo tão ruim não continue acontecendo em nossa comunidade escolar, temos que mudar isso na sociedade e a principal maneira é através do diálogo. Uma boa conversa muda qualquer situação.

Relato de experiência

Professora relatora: Simone Luciana Gomes Nível de Escolaridade: Superior Completo
E-mail:  slgomes@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3341-4622

Participamos do evento há alguns anos e a cada livro uma nova alegria em colaborar com a Cultura de Paz no ambiente escolar, promovendo a reflexão e o desenvolvimento de ações que promovam um ambiente pacífico onde estamos inseridos.
Desde o início do ano trabalho o tema no intuito de conscientizar coletivamente os educandos sobre a importância de cada um neste processo, conhecemos os resultados do projeto na vida dos educandos, o qual promove autoestima, empatia e tolerância, o que resulta numa mudança comportamental.
A família participou por meio de debates realizados em casa e trazidos para serem discutidos em sala, reafirmando a importância dos relacionamentos e atitudes saudáveis no cotidiano.
Para selecionar os trabalhos a comissão julgadora realizou leitura e escolheu uma produção por sala. Nas participações anteriores os textos e desenhos dos alunos foram selecionados o que reafirma o compromisso da instituição com o Projeto (livro).
Quanto à entrega realizada na Prefeitura temos o problema do espaço, o evento é grandioso e necessita de um espaço amplo e mais acolhedor. No Shopping Catuai nos deparamos com o agravante da dificuldade de locomoção, por parte das famílias carentes que não comparecem.