Divulgação do Jogo Pazeando para mobiles

Jogos para computador, celular e tablets

trilha_paz_mural_print
Fotos


TRILHA DA PAZ

Empreendedorismo em Prol da Cultura de Paz

O Movimento pela Paz e Não-Violência de Londrina e o COMPAZ Conselho Municipal de Cultura de Paz, lançam em JANEIRO/2018 o Programa  Empreendedorismo em Prol da Cultura de Paz, que está interconectado com o nosso DADO de CULTURA DE PAZ (veja mais sobre o dado clique aqui)O tema do Livro Londrina Pazeando 2018 é: A Importância do Círculo de Construção de Paz na Escola.
Justiça Restaurativa e Paz – ODS 16 MODELAGEM OFICINA (total 2 horas) Empreendedorismo em Prol da Cultura de Paz, e a
Importância do Círculo de Construção de Paz na Escola *Integrada com o Dado da Cultura de Paz O roteiro da oficina será: 1- Vídeo com algumas reportagens dos 18 anos do Movimento pela Paz 20” (vinte minutos) – (veja playlists vídeos) 2- Jogo TRILHA DA PAZ – Manifesto 2000 ONU/UNESCO 20” (vinte minutos) 3- Intervalo antes do Circulou 15” (quinze minutos) 4- Círculo de Construção de Cultura de Paz 45” (quarenta e cinco minutos) , que será o desfecho ouvindo um a um dos jovens que participarem da oficina, com a utilização do objeto da palavra. A OSC Londrina Pazeando e membros voluntários do COMPAZ, conforme agenda previamente realizado com a Secretaria Municipal de Educação e ou NRE Núcleo Regional de Educação e ou SINEPE para as escolas particulares. 


Manifesto 2000

Direitos Humanos POR UM NOVO COMEÇO

O ano 2000 precisa ser um novo começo para todos nós. Juntos, podemos transformar a cultura da guerra e da violência em uma cultura de paz e não-violência. Para tanto, é preciso a participação de todos. Assim, transmitiremos aos jovens e às gerações futuras valores que os inspirarão a construir um mundo de dignidade e harmonia, um mundo de justiça, solidariedade, liberdade e prosperidade. A cultura de paz torna possível o desenvolvimento sustentável, a proteção do meio ambiente e o crescimento pessoal de cada ser humano.

A Assembléia Geral das Nações Unidas proclamou o ano 2000 como o Ano Internacional por uma Cultura de Paz. A UNESCO é a responsável pela coordenação das atividades de comemoração do Ano Internacional por uma Cultura de Paz.

Um grupo de Prêmios Nobel da Paz esteve reunido em Paris para a celebração do 50º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e juntos redigiram o “Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência”.

Norman Borlaug, Adolfo Perez Esquivel, Dalaï Lama, Mikhail Sergeyevich Gorbachev, Mairead Maguire, Nelson Mandela, Rigoberta Menchu Tum, Shimon Peres, Jose Ramos Horta, Joseph Roblat, Desmond Mpilo Tutu, David Trimble, Elie Wiesel e Carlos Felipo Ximenes Belo estão entre os primeiros cidadãos a assinar o Manifesto 2000. Junte-se a eles!

O QUE É O MANIFESTO 2000?

O Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência foi escrito por um grupo de Prêmios Nobel da Paz, com o fim de criar um senso de responsabilidade que se inicia em nível pessoal – não se trata de uma moção ou petição endereçada às altas autoridades.

É responsabilidade de cada um colocar em prática os valores, as atitudes e formas de conduta que inspirem uma cultura de paz. Todos podem contribuir para esse objetivo dentro de sua família, de seu bairro, de sua cidade, de sua região e de seu país ao promover a não-violência, a tolerância, o diálogo, a reconciliação, a justiça e a solidariedade em atitudes cotidianas.

O Manifesto 2000 foi lançado em Paris no dia 04 de março de 1999 e está aberto para assinaturas do público geral em todo o mundo. Para assinar, basta acessar o site http://www.unesco.org/manifesto2000 ou enviar o seu compromisso pessoal a um dos Escritórios da UNESCO no mundo.

A grande meta é apresentar 100 milhões de assinaturas à Assembléia Geral das Nações Unidas em sua reunião da virada do milênio em Setembro do ano 2000.

MANIFESTO 2000 – O TEXTO

Reconhecendo a minha cota de responsabilidade com o futuro da humanidade, especialmente com as crianças de hoje e as das gerações futuras, eu me comprometo – em minha vida diária, na minha família, no meu trabalho, na minha comunidade, no meu país e na minha região – a:

1- Respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa, sem discriminação ou preconceito;

2- Praticar a não-violência ativa, rejeitando a violência sob todas as suas formas: física, sexual, psicológica, econômica e social, em particular contra os grupos mais desprovidos e vulneráveis como as crianças e os adolescentes;

3- Compartilhar o meu tempo e meus recursos materiais em um espírito de generosidade visando o fim da exclusão, da injustiça e da opressão política e econômica;

4- Defender a liberdade de expressão e a diversidade cultural, dando sempre preferência ao diálogo e à escuta do que ao fanatismo, a difamação e a rejeição do outro;

5- Promover um comportamento de consumo que seja responsável e práticas de desenvolvimento que respeitem todas as formas de vida e preservem o equilíbrio da natureza no planeta;

6- Contribuir para o desenvolvimento da minha comunidade, com a ampla participação da mulher e o respeito pelos princípios democráticos, de modo a construir novas formas de solidariedade.


ASSINE VOCÊ TAMBÉM O MANIFESTO 2000!
Se você tem acesso à Internet:
http://www.unesco.org.br/manifesto2000 

Se você não tem acesso à Internet, escreva para a UNESCO,
assine o manifesto e declare o seu compromisso com a cultura de paz:
SAS, Quadra 05, Bloco H, Lote 06
Ed. CNPq/IBICT/UNESCO – 9º Andar
70070-914 – Brasília – DF


ASSINAR MANIFESTO 2000

DADO_exp_01_abril_2017 (11)
https://www.facebook.com/DADO-da-Cultura-de-Paz-1412238385462919/?ref=ts&fref=ts

DADO de CULTURA DE PAZ  2017

O Movimento pela Paz e Não-Violência de Londrina e o COMPAZ Conselho Municipal de Cultura de Paz, lançam em ABRIL/2017 o Programa DADO de CULTURA DE PAZ.

O dado da Cultura de Paz, é mais uma ferramenta pedagógica que tem a intensão de levar as crianças e os adultos refletirem sobre a necessidade de se comprometerem com a Construção de uma Cultura de Paz, ele contém os 6 conceitos do Compromisso Manifesto 2000 da ONU/UNESCO.

Nosso DADO a princípio é como uma “almofada” de sala, quadrada (50x50cm) e de espuma com uma capa lavável, afinal somos todos “pés vermelhos”. Será utilizado com a *Carta Compromisso e *Prancha de Ache o Caminho, pelos conselheiros do Movimento pela Paz.

A intenção é resgatar o Manifesto 2000 e o compromisso que ele traz, de que as pessoas assumam vivenciar estas compromissos e princípios. O dado será utilizado nos eventos do Movimento ao longo do ano, e também presente inspirar as Escolas (Públicas e Particulares) a produção e pedagogização dos princípios em sala de aluas.

O design gráfico foi desenvolvido pela Escritório de Design da UEL, coordenado pela Professora Paula Napo e suas alunas. O job foi desenvolvido pela estagiária Ivana Raya e contou com intensa pesquisa sobre o tema, e a proposta de layout foi apresentada e aceita pelos membros responsáveis pela produção do dado, Luis Claudio Galhardi (Pazeando), Neusa Maria Rodrigues Napo (Caritas), Maria Aparecida Prandini Pereira (Cidinha/ Nós do Poder Rosa e Presidente do COMPAZ).


Manifesto 2000

Direitos Humanos POR UM NOVO COMEÇO

O ano 2000 precisa ser um novo começo para todos nós. Juntos, podemos transformar a cultura da guerra e da violência em uma cultura de paz e não-violência. Para tanto, é preciso a participação de todos. Assim, transmitiremos aos jovens e às gerações futuras valores que os inspirarão a construir um mundo de dignidade e harmonia, um mundo de justiça, solidariedade, liberdade e prosperidade. A cultura de paz torna possível o desenvolvimento sustentável, a proteção do meio ambiente e o crescimento pessoal de cada ser humano.

A Assembléia Geral das Nações Unidas proclamou o ano 2000 como o Ano Internacional por uma Cultura de Paz. A UNESCO é a responsável pela coordenação das atividades de comemoração do Ano Internacional por uma Cultura de Paz.

Um grupo de Prêmios Nobel da Paz esteve reunido em Paris para a celebração do 50º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e juntos redigiram o “Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência”.

Norman Borlaug, Adolfo Perez Esquivel, Dalaï Lama, Mikhail Sergeyevich Gorbachev, Mairead Maguire, Nelson Mandela, Rigoberta Menchu Tum, Shimon Peres, Jose Ramos Horta, Joseph Roblat, Desmond Mpilo Tutu, David Trimble, Elie Wiesel e Carlos Felipo Ximenes Belo estão entre os primeiros cidadãos a assinar o Manifesto 2000. Junte-se a eles!

O QUE É O MANIFESTO 2000?

O Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência foi escrito por um grupo de Prêmios Nobel da Paz, com o fim de criar um senso de responsabilidade que se inicia em nível pessoal – não se trata de uma moção ou petição endereçada às altas autoridades.

É responsabilidade de cada um colocar em prática os valores, as atitudes e formas de conduta que inspirem uma cultura de paz. Todos podem contribuir para esse objetivo dentro de sua família, de seu bairro, de sua cidade, de sua região e de seu país ao promover a não-violência, a tolerância, o diálogo, a reconciliação, a justiça e a solidariedade em atitudes cotidianas.

O Manifesto 2000 foi lançado em Paris no dia 04 de março de 1999 e está aberto para assinaturas do público geral em todo o mundo. Para assinar, basta acessar o site http://www.unesco.org/manifesto2000 ou enviar o seu compromisso pessoal a um dos Escritórios da UNESCO no mundo.

A grande meta é apresentar 100 milhões de assinaturas à Assembléia Geral das Nações Unidas em sua reunião da virada do milênio em Setembro do ano 2000.

MANIFESTO 2000 – O TEXTO

Reconhecendo a minha cota de responsabilidade com o futuro da humanidade, especialmente com as crianças de hoje e as das gerações futuras, eu me comprometo – em minha vida diária, na minha família, no meu trabalho, na minha comunidade, no meu país e na minha região – a:

1- Respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa, sem discriminação ou preconceito;

2- Praticar a não-violência ativa, rejeitando a violência sob todas as suas formas: física, sexual, psicológica, econômica e social, em particular contra os grupos mais desprovidos e vulneráveis como as crianças e os adolescentes;

3- Compartilhar o meu tempo e meus recursos materiais em um espírito de generosidade visando o fim da exclusão, da injustiça e da opressão política e econômica;

4- Defender a liberdade de expressão e a diversidade cultural, dando sempre preferência ao diálogo e à escuta do que ao fanatismo, a difamação e a rejeição do outro;

5- Promover um comportamento de consumo que seja responsável e práticas de desenvolvimento que respeitem todas as formas de vida e preservem o equilíbrio da natureza no planeta;

6- Contribuir para o desenvolvimento da minha comunidade, com a ampla participação da mulher e o respeito pelos princípios democráticos, de modo a construir novas formas de solidariedade.



ASSINE VOCÊ TAMBÉM O MANIFESTO 2000!
Se você tem acesso à Internet:
http://www.unesco.org.br/manifesto2000

Se você não tem acesso à Internet, escreva para a UNESCO,
assine o manifesto e declare o seu compromisso com a cultura de paz:
SAS, Quadra 05, Bloco H, Lote 06
Ed. CNPq/IBICT/UNESCO – 9º Andar
70070-914 – Brasília – DF


ASSINAR MANIFESTO 2000

JOGO VIRTUAL DIÁRIO DE AMANHA Recebemos da Profa Lia Diskin o jogo vrtual Diário de Amanha ( veja como acessar GRATUITO) Caríssimo Luis Claudio,Agradecida pelo envio dos cartazes com o anúncio da 5ª Conferência Municipal de Cultura de Paz de Londrina– ficaram lindos! Já afixei nos murais da Palas Athena e entreguei a 3 professoras que trabalham na Prefeitura de São Paulo para disponibilizarem nas suas unidades.Aproveito para enviar o Relatório 2015 dos Projetos Socioeducativos da Palas Athena. Ele mostra um panorama das ações que realizamos, sendo que algumas delas, ainda estão em curso.Gostaria de saber se você recebeu a informação sobre o Diário de Amanhã, jogo virtual didático que tem como propósito familiarizar adolescentes e jovens com a Declaração Universal dos Direitos Humanos. O acesso gratuito para quaisquer interessados são: 

JOGOwww.sp.senac.br/diariodeamanha

CONHEÇA PALASwww.palasathena.org.br

abraços cálidos e saudosos,

Clique na imagem abaixo para jogar:


Jogo Pazeando – Abraçando o Lago versão celular e computador.

O jogo para celular visa divertir, entreter, a convidar as pessoas para um jogo “sem violência” e sem a exclusão: um jogo cooperativo, em que o jogador vai convidando as pessoas para “dar um abraço pela paz” em torno de um lago. Durante o percurso, além de caminhar, o jogador pode beber água, ajudar a limpar a estrada, cuidar do ambiente e das pessoas à sua volta. Com o olhar na Sustentabilidade Planetária e na mudança de modo de vida e comportamento, o jogo convida, sem perder a emoção de um videogame, as pessoas jogadoras a pensarem em uma Cultura de Paz. Não ocorrem “as cenas de violência” tão comuns e “banalizadas” da cultura atual (a nossa cultura de violência). Ao final, um grande grupo de pessoas se encontra para o grande abraço no lago, um símbolo de união, desejo coletivo de construção de uma Cultura de Paz, cooperação e mudança de atitude perante a resolução dos conflitos complexos da modernidade.




Reportagem (22/set) RPCTV sobre o novo jogo Londrina Pazeando
REPORTAGEM  da RPCTV sobre do Jogo Pazeando

Veja vídeo sobre o Jogo Pazeando Abraçando o Lago 5″


Veja vídeo sobre o Jogo Pazeando Abraçando o Lago 5″


Instruções para Jogo Pazeando

– Conduza o personagem pela tela para movimenta-lo.
– Clique no circulo laranja para realizar ações.
– Cuide de sua VIDA e de sua saúde, caminhado, bebendo agua, sentando no banco.
– Cuide do Planeta, recolha o lixo e jogue na lixeira. Cuide dos animais.
– Arma não é brinquedo, então jogue ela na lixeira para reciclar suas ideias.
– Você pode interagir com pessoas e chama-las para o abraço no lago.
– São necessário 3 mil pessoas para realizar o  grande abraço.

Educar para Paz, este é o Nosso Jeito de Mudar o Mundo.  Vem com a Gente!

Jogos de cards

Os “jogos de paz”

Pensando no potencial dos jogos como promotores da paz, o Londrina Pazeando, desenvolveu um jogo de cartas ( 33 cards) inédito no Brasil. O jogo traz a proposta pedagógica de educação para a paz. Há três eixos no jogo de cartas: biografia de pacifistas – como Madre Tereza de Calcutá, Cristo, Lutter King, Betinho e Gandhi; conceitos referentes à cultura de paz – como a diferença entre força e violência – e propostas que a ONG vem realizando em Londrina.

Vence o jogo quem terminar com o maior número de cartas, mas uma regra básica é que o vencedor, no final, agradeça os colegas pela oportunidade de jogar e vencer a partida, pois tem consciência de que isso não seria possível se estivesse sozinho. ”A regra número 10 do jogo também é fundamental, pois afirma que todos terão vencido a partida se tiverem cooperado para resolver os pequenos conflitos”.

Além de brincar, o método do jogo é fácil e bastante conhecido pelas crianças, mas que o diferencial é que ele também tem como objetivo que os pais e os educadores participem com as crianças. ”O desafio é que além de jogar, as crianças virem a carta e leiam a biografia do Gandhi, por exemplo, e para isso é preciso que os pais assumam o seu papel de educadores, questionem, e não deixem para a mídia essa função.”

O lançamento oficial do jogo foi no dia 5 de agosto de 2006 e está sendo vendido em Londrina, Curitiba e São Paulo. Os pontos e fones de vendas, podem ser localizados no site www.londrinapazeando.org.br

Regras:
1. Todos são participantes no jogo devem jogar COM o outro e NÃO CONTRA o outro.
2. Embaralhar as cartas e distribuir na ordem que está no monte.
3. O jogador com menor idade começa o jogo.
4. O jogador que começa deve manter a ordem que recebeu as cartas e escolhe o item com maior número de carinhas para pedir aos outros jogadores as cartas.
5. Jogada – aquele que tiver na opção escolhida o maior número de carinhas, leva da mesa para seu monte todas as cartas, colocando no final do seu monte.
6.Quando der empate, ou seja o mesmo número de carinhas, aquele que estiver pedindo as cartas, continua a pedir na rodada seguinte até desempatar.
7. Antes de entregar as cartas cada jogador lerá o conteúdo escrito no verso de sua carta afim de socializar o conhecimento.
8. No final, aquele que tiver o maior número de cartas na mão ganha o jogo.
9. O vencedor cumprimenta seus parceiros de jogo, e agradece a oportunidade de jogar e vencer a partida, pois sozinho isto não seria possível.
10. Todos terão vencido a partida, se cooperarem para que os pequenos conflitos sejam resolvidos de uma forma pacífica.

Você pode ser um construtor mirim de uma cultura de paz em nossa sociedade escolha seu caminho.

Os Jogos de Paz, estão a venda nos seguintes locais:

1ONG Londrina Pazeandofone 43.9996-1283 Londrina
2Móveis Brasília
av Duque de caxias, 3.409
fone 43. 3334-2626Londrina
3Moveis Brasília
av Saulk Elkind,1348
fone 43. 3325-1015Londrina
4Móveis Brasília
rua Pernambuco, 379
fone 43. 3325-2626Londrina
5Móveis Brasília
av Paraná,607
fone 43. 3321-3010Londrina
6Móveis Brasília
rua Benjamin, 1.185
fone 43. 3321-3013Londrina
7K2 POIT Mangás
rua Santos, 766
fone 43. 3323-1516Londrina
8Escola Educacional MAF
rua Jordânia. 149
fone 43. 3341-8239Londrina
9BatBanca
rua Raposo Tavares, 687
fone 43. 3337-0587Londrina
10Portal da Luz
rua Mossoró, 170
fone 43. 3345-0617Londrina
11Livrarias Porto, Shopping Catuaífone 43.3294-8300 Londrina
12Espaço Holístico Paramitta –
Rua Visconde do Rio Branco, 84 – Mercês – Curitiba/PR
seg a sexta das 7h30 às 21h e sábado das 8h às 12h
fone 41.3018-5056Curitiba
 13Centro de Estudos Budistas Paramitta
Rua Conselheiro Carrão 1155 – Alto da XV – Curitiba Pr
fone 41.8818-9989
fone 41.3362-4587
Curitiba
 14Unipaz Pr
Rua Jacarezinho 363 – Curitiba Pr
fone 41. 3018-0223Curitiba
 15SOU DA PAZ
Rua Luis Murat, 260.
fone 11. 3812 1333São Paulo
 16Trenzinho brinquedos educativos 
Rua Cardoso de Almeida, 1414 São Paulo – SP
fone 11. 3825-1212São Paulo
17Ponto Corpo Yoga
Rua Goias, 610 loja 115 – Galeria Lafayette  
fone 43.3324-9983Londrina
 18Livraria Chico Xavier
Shopping Royal Plazza térreo entrada pela Rua Matto Grosso
fone 43.3341-2068Londrina
 19TV ANTARES Av higienópolis, 32- 13° andar sala 1303 fone 43.3028-9900Londrina



http://www.bonde.com.br/folha 
19/setembro de 2006
Reportagem Local Ana Paula Nascimento

Brincar para harmonizar
Muito além da função de entretenimento, as brincadeiras socializam as crianças e existem até jogos que ajudam os pequenos a promover a paz

Fotos: César Augusto

Todas as crianças adoram brincar, mas, às vezes, as brincadeiras se tornam muito competitivas e agressivas e acabam gerando conflitos entre os pequenos, principalmente na hora do recreio. 
Pensando no bem-estar dos alunos e com o objetivo de aproveitar com mais qualidade o tempo de recreação, a Escola Vagalume vem desenvolvendo desde maio o projeto ”Recreio Monitorado”, em que participam alunos de 1 à 4 série do ensino fundamental. O projeto também está interligado à idéia do desenvolvimento de atividades que beneficiem o conceito de paz no ambiente e no relacionamento entre os alunos. 
Toda semana, uma turma se responsabiliza em ir nas salas de aula antes do recreio para levar até os alunos saquinhos com pulseiras coloridas que representam os tipos de brincadeiras que estão sendo disponibilizadas naquele período – definição essa que contou com a colaboração dos alunos. Um quadro com a brincadeira que cada pulseira representa é mostrado para os alunos antes que cada um faça a sua escolha, que poderá ser posteriormente trocada
na hora do recreio, desde que seja com o consentimento de outro colega que irá participar da troca. 
A turma responsável por essa tarefa também tem a obrigação de arrumar os brinquedos no pátio da escola e recolhê-los ao término do recreio. Outro fator interessante é que com essa forma de organizar o recreio, os alunos brincam com crianças que saem do seu círculo restrito de amigos e que são de séries diferenciadas, abrindo a possibilidade de melhor convivência através da tolerância. Se a criança que divide a brincadeira é menor, encontra-se aí uma boa oportunidade de também ensiná-la a brincar.


Fotos: César Augusto
‘Recreio Monitorado’, na Escola Vagalume: brincadeiras que favorecem a harmonização do ambiente através do bom relacionamento entre os alunos

”Antes do projeto, havia muita confusão na hora do recreio. As crianças se machucavam com frequência, escolhiam brincadeiras muito agitadas e não respeitavam as regras das brincadeiras. Agora, elas estão mais tranquilas, agem com mais responsabilidade e sabem aproveitar mais esse tempo”, explicou a psicopedagoga e responsável pela coordenação da escola, Flávia Cintra Crusiol. 
O limite também é trabalhado durante as atividades. A criança que não sabe respeitar as regras das brincadeiras fica de fora. Quando as crianças começam a se desinteressar por uma brincadeira ou não respeitam as regras, a atividade é substituída. 
”No início do projeto, uma das atividades que elas mais gostavam era brincar de ”ameba”, um tipo de pega-pega misturado com bola queimada, mas como estavam jogando a bola com muita força nos colegas, decidimos não disponibilizá-la por um tempo”, afirmou Flávia.
A aluna Karina Guimarães Silva, 10 anos, aprovou a novidade do recreio monitorado: ”Antes era chato, porque tinha muita confusão. A brincadeira que mais gosto é de elástico e acho legal brincar com crianças de outras séries”, comentou. 
Lucas Macri de Souza, 9 anos, também é fã da nova modalidade de recreio. Com a aluna Karina, gosta muito de brincar de elástico, mas sente falta de jogar ”ameba”. ”Com o recreio monitorado, tem menos confusão, mas não estávamos respeitando as regras do jogo de ‘ameba’ e agora não podemos jogar mais. Temos que ser mais obedientes”, declarou. Atualmente, as atividades incluem jogos de dama, dominó, trilha, tangran (quebra-cabeça de origem chinesa) e elástico. 


Luis Claudio Galhardi desenvolveu o Supertrunfo: proposta de educação pela paz 

E foi pensando no potencial dos jogos como promotores da paz, que o presidente da ONG Londrina Pazeando, Luis Cláudio Galhardi, desenvolveu um jogo de cartas inédito no Brasil. Com um jeito de jogar similar ao Supertrunfo, o seu jogo tem a proposta pedagógica de educação para a paz. Há três eixos no jogo de cartas: biografia de pacifistas – como Madre Tereza de Calcutá, Jesus Cristo e Gandhi; conceitos referentes à cultura de paz – como a diferença entre força e violência – e propostas que a ONG vem realizando em Londrina. 
Vence o jogo quem terminar com o maior número de cartas, mas uma regra básica é que o vencedor, no final, agradeça os colegas pela oportunidade de jogar e vencer a partida, pois tem consciência de que isso não seria possível se estivesse sozinho. ”A regra número 10 do jogo também é fundamental, pois afirma que todos terão vencido a partida se tiverem cooperado para resolver os pequenos conflitos”, destacou Galhardi. 
O criador da brincadeira também ressaltou que o método do jogo é fácil e bastante conhecido pelas crianças, mas que o diferencial é que ele também tem como objetivo que os pais e os educadores participem com as crianças. ”O desafio é que além de jogar, as crianças virem a carta e leiam a biografia do Gandhi, por exemplo, e para isso é preciso que os pais assumam o seu papel de educadores, questionem, e não deixem para a mídia essa função.” 
O lançamento oficial do jogo foi no dia 5 de agosto e está sendo vendido em 12 pontos da cidade, que podem ser localizados no site www.londrinapazeando.org.br


http://www.bonde.com.br/folha 
Terça 08 de agosto de 2006
Reportagem Local Betânia Rodrigues


Eduardo Anizelli
Jogos de Paz são compostos por 33 cartões, com 10 biografias de pacifistas mundiais

ONG cria um brinquedo para estimular a paz

Difundir os conceitos sobre violência e paz, integrando crianças e adultos, numa brincadeira é o objetivo dos Jogos de Paz. Criado pela ONG Londrina Pazeando, o jogo é composto de 33 cartões, com 10 biografias de pacifistas. 
O brinquedo foi lançado, no último sábado, em um ato público em memória às vítimas do ataque nuclear a Hiroshima (Japão), ocorrido em 6 de agosto de 1945. Um dos atrativos do encontro foi a apresentação do grupo Ishin Ladies (mulheres de um só coração), que mantêm vivo o som do taikô (tambor japonês). 
Os Jogos da Paz representam o enfrentamento à cultura da violência que influencia de maneira negativa o imaginário das pessoas desde a infância. ”É um passatempo educativo, justificado pelo exemplo de pessoas que viveram a serviço do bem coletivo e jamais devem ser esquecidos”, afirma Luís Claudio Galhardi, coordenador da ONG. 
O brinquedo pode ser adquirido por R$ 10,00, em qualquer uma das sete lojas Móveis Brasília. Mais informações podem ser obtidas na home page: www.londrinapazeando.org.br , pelo e-mail: paz@londrinapazenado.org.br ou pelo telefone: (43) 9996-1283.

Veja como foi o lançamento do Jogos de Paz

É com muita alegria que o Movimento pela Paz e Não-Violência, Londrina Pazeando lança – “Jogos de Paz”.

Existe no mercado inúmeros jogos de cartas que se propõe a mostrar todos os tipo de tanques de guerras, armas, soldados guerreiros, guerreiros medievais (de guerras “santas”), figuras como demônios de tal ou tal lugar etc.

É nossa intenção pedagógica, apresentar em forma de jogo, os heróis pacifistas, os conceitos de Cultura de Paz e Cultura de Violência, e como um movimento organizado pode trabalhar para uma mudança na mentalidade milenar baseada no bélico, no inimigo e na guerra (violência) como forma de mudança.

Esperamos assim contribuir e cumprir a nossa missão, que é trabalhar pela “Construção de uma Cultura de Paz e Não-Violência” em nossa sociedade.

DATA: 05 de agosto 2006 SÁBADOHORA: 10 hsLOCAL: Loja Móveis Brasília (Av. Paraná n° 606 calçadão)
os jogos podem encontrados em qualquer loja Móveis Brasília em Londrina.

Lançamento do JOGOS DE PAZ

Ato Pela Paz Mundial – 61 anos de Hiroshima

A ONG Londrina Pazeando lança neste sábado “JOGOS DE PAZ”. O jogo é mais uma iniciativa da ONG e seu trabalho de Educação para a Paz. Junto ao lançamento do jogo estará sendo realizado um ATO PELA PAZ MUNDIAL, lembrando os 61 anos de Hiroshima. Membros da comunidade japonesa de Londrina, região estarão no evento, lembrando este episódio triste da historia da humanidade, que deve ser contado as novas gerações para que nunca mais venhamos a repeti-lo. Integrantes da ONG Londrina Pazeando vão contar a historia de Sadako, uma menina japonesa que sonhou com uma Cultura de Paz, e serviu, e serve de inspiração a milhares de outras crianças no mundo atualmente. Garças de papel serão dobradas e enviadas para o Parque da Paz de Hiroshima.

O Lançamento e o Ato são abertos a participação de todos . Venha participar, manifeste sua paz !

Hiroshima, no Japão, lembra, neste domingo, os 61 anos da explosão da bomba atômica sobre a cidade .Há 61 anos, Hiroshima era uma base militar e um importante porto onde viviam cerca de 350 mil pessoas. Hoje, é uma cidade industrial e moderna com uma população de 1,1 milhão de habitantes. As marcas da catástrofe atômica, no entanto, ainda podem ser vistas em meio a prédios modernos e ruas movimentadas. Em uma rua residencial no centro, é possível ver na calçada uma lápide marcando o local exato onde a bomba explodiu. Não fica muito longe do Parque da Paz onde foram construídos museus e memoriais para as vítimas da bomba atômica. Também ali está o Domo da Bomba A, um dos poucos prédios próximos ao epicentro que ficou de pé e é mantido assim até hoje para lembrar a tragédia.

Durante o ATO PELA PAZ, os membros da ONG estarão pedindo o fim do violência no Líbano, e ainda lembrando e contando a história do “Oazis da Paz” , que fica a 30 Km Tel Aviv, onde o jovem judeu Ronen se encontra e convive 4 dias com Rabi’y, um jovem árabe. O encontro acontece na Escola da Paz, e ambos se surpreende com a possibilidade de Paz entre seus povos, entendendo que são eles os protagonistas no presente de um futuro com menos violência.

Tarobá Jogos de Paz
Anúncio TV Antares