SITE DA MARCHA MUNDIAL https://theworldmarch.org/en/
FACEBOOK https://www.facebook.com/londrinamarchamundialpelapaz/?modal=admin_todo_tour

ROTA DA MARCHA MUNDIAL NO BRASIL

Recife, PE dias 6 a 9 de dez
São Paulo, SP de 10 a 11/dez
Cubatão, SP – 11/dez
Caucaia, SP – 12/dez
Paraisópolis, MG dias 13/dez
Rio de Janeiro, RJ – 14 e 15/dez
Maricá, RJ – 16/dez
Londrina, PR – 17/dez
Curitiba, PR – 18/dez

PROGRAMAÇÃO EM LONDRINA:

  • 28/agosto Na Inauguração do Totem Trilha e Dado da Paz
  • 22/setembro – 11° Abraço no Lago pela Paz
  • 02/outubro – Conexão Londrina com a Marcha Mundial pela Paz e Não-Violência
  • 05/outubro – 6º Manifesto pela Paz e pelo desarmamento infantil.
  • 21/novembro/2019 – 9° Entrega do SELO arma não é brinquedo
  • 17 de dezembro *A Marcha Mundial passará em Londrina

Londrina-Pr, 2019.

Documento de adesão à 2° Marcha Mundial pela Paz e pela Não-Violência

Estimado(s),

            Queremos convidá-lo(s) a aderir à 2° Marcha Mundial da Paz e da Não-Violência. Trata-se de uma iniciativa impulsionada pela organização internacional Mundo Sem Guerras em conjunto com diversas organizações e pessoas dispostas a organizar ações e percorrer novamente todo o planeta, para contribuir na construção de um mundo sem guerras e sem violência.

Começando em Madri na Espanha no dia 2 de Outubro de 2019, data que comemora o nascimento de Gandhi e que foi declarada pelas Nações Unidas “Dia Internacional da Não-Violência”, a marcha dará a volta no Globo percorrendo os seis continentes, finalizando novamente em Madri no dia 8 de Março de 2020, promovendo a educação na não violência e federando os movimentos que em todo o mundo defendem e promovem a democracia, a justiça social e ambiental; a igualdade entre os gêneros, a solidariedade entre povos e a sustentabilidade da vida no planeta. Uma Marcha que busca viabilizar e empoderar a esses movimentos, comunidades e organizações, em uma convergência global de esforços em prol dos seguintes objetivos:  

            – Levantar um grande clamor mundial desse “nós, os povos”, com o que tão lucidamente se inicia a Carta das Nações Unidas, para uma rápida implementação prática do Tratado de Proibição de Armas Nucleares, que permita liberar os recursos destinados hoje à destruição, para resolver necessidades básicas da humanidade.

            – Assumir um Plano de Irradicação da Fome, em consonância com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), que disponha dos fundos necessários para que seja efetivo.

            – Ativar um Plano de Medidas Urgentes contra todo tipo de supremacia, racismo, segregação e perseguição por sexo, raça, nacionalidade ou religião.

            – Promover uma Carta Democrática de Cidadania Global, que complemente a Declaração de Direitos Humanos (Civis, políticos e socioeconômicos).

            – Incorporar a Carta da Terra a “Agenda Internacional” dos ODS, para fazer frente de forma eficaz a mudança climática e demais frentes de insustentabilidade ambiental.

            – Refundar as Nações Unidas, dando participação a sociedade civil, democratizando o Conselho de Segurança para transformá-lo em um autêntico Conselho Mundial de Paz, e criando um Conselho de Segurança Ambiental e Econômico, de forma que se reforcem as cinco prioridades das Nações Unidas: alimentação, água, saúde, meio ambiente e educação.

            – Promover alianças de movimentos, partidos e ONGs, para transitar desde a cultura de imposição, violência e guerra a uma cultura de paz, não-violência, diálogo e solidariedade, em cada localidade, país e região, desde a perspectiva global que oferece esta Marcha Mundial.

Hoje, a 2° Marcha Mundial pela Paz e Não-violência é mais necessária que nunca.

Dez anos após a 1° Marcha Mundial, as razões que a motivaram, longe de reduzir-se, se tem fortalecido. Vivemos num mundo onde cresce o unilateralismo autoritário, ao tempo em que se degrada o papel fundacional das Nações Unidas na resolução de conflitos internacionais. Um mundo que desanda em dezenas de guerras, em sua maioria silenciada pela desinformação; em que explodem as crises ecológicas de insustentabilidade que o Clube de Roma anunciou já faz meio século; em que milhões de migrantes, refugiados e deslocados ambientais se veem empurrados a desafiar fronteiras de injustiça e morte; em que se pretendem justificar guerras e massacres na disputa por recursos cada vez mais escassos; em que o choque de “placas geopolíticas” entre poderes dominantes e emergentes suscita novas e perigosas tensões; em que a cobiça dos mais ricos quebra, inclusive nos países desenvolvidos, qualquer expectativa ou realidade de sociedade de bem estar, levando ondas de indignação que acabam sendo manipuladas e gerando alarmantes movimentos de rechaço e xenofobia contra refugiados e imigrantes; um mundo, em que a justificação da violência em nome da segurança, faz crescer o risco de escaladas bélicas de proporções incontroláveis.

 O Tratado de Não-Proliferação das Armas Nucleares, desde 1970, longe de abrir caminho ao desarme nuclear, tem consolidado o poder da destruição massiva, ampliando-se inclusive o clube da morte global com arsenal nucleares nas mãos de Israel, Índia, Paquistão…, em regiões altamente conflitivas. Tudo isso explica que o Comitê de Cientistas Atômicos situou o índice de risco global (Reloj Doomsday) como o maior vivido desde a Crise dos Mísseis de Cuba, em 1962.

            Além da contribuição em difundir a MM e suas atividades, caso queiram se somar, incentivamos a participação de todos em duas atividades de grande importância, para que possam ser realizadas gerando um grande impacto na região. São elas, o evento mundial simultâneo do dia 2 de outubro de 2019, dia que dará início a Marcha Mundial saindo de Madri para percorrer o mundo; e a atividade para recepcionar a Marcha Mundial *em Curitiba/Parana ou no estado, que acontecerá entre os dias 17/18 de dezembro de 2019.

             Valendo-se das diversas possibilidades de ações em prol da Marcha Mundial, cada pessoa, movimento e organização pode incluir suas atividades à Marcha, dando maior visibilidade nacional e internacional, e força às suas ações já desenvolvidas ou em andamento, ou ainda, desenvolver outras atividades em consonância com a MM.

            Agradecendo sua atenção e disponibilidade, como forma de firmar essa adesão, sugerimos um vídeo curto afirmando sua adesão e incentivando para que outros possam fazer parte desse grande movimento global.

Luis Claudio Galhardi
paz@londrinapazeando.org.br (43) 9.9996-1283
Equipe Promotora de Londrina
2° Marcha Mundial Pela Paz e a Não Violência

Régis Garrett da Rosa Caetano
regisgarrett@hotmail.com (41) 999413494
Equipe Promotora de Curitiba
2° Marcha Mundial Pela Paz e a Não Violência